O pré-candidato João Azevedo (PSB) é daqueles que acredita que PSB e PT reúnem mais convergências do que divergências. O que não o impediu de comentar a dura nota emitida pelo Partido dos Trabalhadores no último sábado (28), que desenha uma candidatura própria ao Governo do Estado em detrimento a presença de apoiadores do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) na chapa socialista.

“Uma declaração antecipada não traz benefício nenhum para ambas as partes”, analisou.

Nas entrelinhas, João puxou a orelha do PT.

Comentários: