O Novo inovou na posição que o partido terá na eleição de segundo turno para presidente: neutralidade com parcialidade. Em nota divulgada nesta terça-feira (9), a legenda diz que não apoiará Fernando Haddad (PT) nem Jair Bolsonaro (PSL), mas se coloca “absolutamente” contrária ao PT, que segundo a sigla, “tem ideias e práticas opostas às nossas” (leia a nota abaixo).

O Novo teve votação expressiva com João Amoêdo, considerando o pouco tempo de aparição de TV e fora dos debates. Ele conseguiu 2,5% dos votos válidos e ficou na quinta colocação, à frente de outros presidenciáveis com mais tempo de televisão como Henrique Meirelles (MDB), Marina Silva (Rede) e Alvaro Dias (Pode).

O Novo conseguiu eleger oito deputados federais e avançou para o segundo turno na eleição para o governo de Minas Gerais. São três em São Paulo, um no Rio de Janeiro, um no Rio Grande do Sul, um em Santa Catarina e dois em Minas Gerais.

Comentários: