A Folha de S.Paulo noticiou hoje (18) que empresários estão comprando pacotes de mensagens fraudulentas contra a candidatura de Fernando Haddad (PT). Jair Bolsonaro (PSL) deu uma de desentendido ao comentar a denúncia: ”Eu não tenho controle se tem empresário simpático a mim fazendo isso. Eu sei que fere a legislação. Mas eu não tenho controle, não tenho como saber e tomar providência”.

Há dois dias, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mandou tirar do ar fake news de Bolsonaro sobre a suposta distribuição, pelo Ministério da Educação a escolas públicas, de um livro destinado a crianças com imagens de cunho sexual – o famoso ‘kit gay’.

O candidato do PSL usou do mesmo expediente para comentar a morte de um mestre capoeira em Salvador, vítima de intolerância política. “O cara lá que tem uma camisa minha, comete lá um excesso. O que eu tenho a ver com isso? Eu lamento. Peço ao pessoal que não pratique isso. Eu não tenho controle sobre milhões e milhões de pessoas que me apoiam”, disse.

Bolsonaro só fez de conta que esqueceu que, durante um ato de campanha no Acre, sugeriu que petistas fossem metralhados. “Vamos fuzilar a petralhada toda aqui do Acre!”.

Ninguém poderá cobrar sinceridade de Bolsonaro. Antes de pisar no Planalto, o capitão adianta que assumir responsabilidade não é seu forte.

Comentários: