O Ministério da Saúde informou que, em cinco anos de atuação dos médicos cubanos no Brasil, não houve registros de erros médicos nem foram feitas denúncias nesse sentido. A desconfiança lançada pelo presidente eleito Jair Bolsonaro sobre a capacitação dos profissionais caiu por terra. 

Comentários: