Três bilhões de reais em emendas extras e quatro ministérios. Este é o custo que Jair Bolsonaro terá que desembolsar para eleger Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG) como presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, em disputa nesta segunda-feira (01).

Somente com congressistas da Paraíba, o Palácio do Planalto liberou quase R$ 150 milhões, conforme mostrou o blog ontem. Em 2018, Bolsonaro chamava isso de toma lá dá cá.

Até às 19 horas, a temperatura que já é quente, deve subir ainda mais em Brasília, especialmente depois do DEM, partido do presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ), afundar a candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP).

Pelas bandas de lá, onde está a equipe da Rede Mais, fala-se em abertura de impeachment contra Bolsonaro, numa vingança de Maia a ingerência do governo.

Com o mau cheiro sentido de longe, a inocente “mijadinha” do senador José Maranhão (MDB) – para quem a Paraíba despeja doses de esperança em sua luta contra Covid-19 – na disputa de 2019 seria aroma hoje na Capital da República. 

Comentários: