Cúmplice da negligência, “o tal de Queiroga” tem perdido cada vez mais a compostura que um dia o fez ser um médico respeitado.

Ao deixar claro que foi Bolsonaro que lhe deu a maior oportunidade da sua vida, o paraibano escancarou a sua a nova especialidade: escovar botas.

Das inverdades ditas na CPI da pandemia a trocar farpas com adversários do presidente da República pelas redes sociais, Marcelo Queiroga tem se prestado a um papel constrangedor.

Nesse domingo (13), o ministro da Saúde se intrometeu gratuitamente no tuíte informativo do governador de São Paulo, João Doria, sobre a antecipação do calendário de vacinação contra a Covid-19.

“Com certeza, governador João Doria. Com as doses enviadas pelo governo federal, por intermédio do Ministério da Saúde, a população adulta do estado de São Paulo estará imunizada até setembro com a primeira dose da vacina contra Covid-19″, disse o ministro, antes de tomar uma invertida.

“Quanto recalque, ministro. Bom domingo e uma ótima semana. Por aqui, vacinando”, assinalou Doria. Humilhante!

Na semana passada, Marcelo Queiroga já havia tentado chamar a atenção do seu chefe ao lançar dúvidas sobre a eficácia da coronavac e alimentou a sandice sobre desobrigar o uso da máscara em um cenário de um país que não tem 12% da população imunizada. 

Some-se a isso o silêncio de Queiroga sobre as barbáries de Bolsonaro de trabalhar contra a vacinação e promover aglomeração.

O que sobrou a Mandetta e Teich, falta ao nosso paraibano: hombridade.

 

Comentários: