Voto contra a lei complementar estadual que institui microrregiões de águas e esgoto, o deputado Tovar Correia Lima (PSDB) comentou ao blog que a sua decisão não foi pelo conteúdo da matéria, mas pela forma como a proposta chegou à Assembleia.

O tucano, que nega ter combinado voto com as ricardistas Estela Bezerra e Cida Ramos, do PSB, acusa a base do governo de ter atropelado a tramitação.

“Ninguém estudou, ninguém sabe o que estava votando, até mesmo eu que tinha experiência na matéria porque tinha trabalhado na Secretaria de Planejamento [de Campina Grande], não estava seguro, precisava discutir com os municípios, a forma atropelada que o governo levou a matéria à Assembleia”, afirmou Tovar.

Mais cedo aqui, contestei a incoerência da oposição de se manifestar contra matérias que o Congresso, com apoio incondicional do presidente Jair Bolsonaro – a quem os deputados de oposição são ligados -, obriga os Estados a tomarem a mesma decisão.

“Não votamos na essência do projeto, não somos nem contra, porque não sabíamos sobre o projeto, que chegou ontem. A minha discussão foi nesse sentido. Cida, Estela e Jeová nem tanto, mas a minha foi nesse sentido”, argumentou Tovar.

No dia 30 de abril, o Governo do Estado lançou Consulta Pública para discutir a criação das Microrregiões de Águas e Esgoto, conforme obriga o marco legal do saneamento básico aprovado no ano passado pelo Congresso e sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro.

 

 

Comentários: