O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzony, e o presidente Jair Bolsonaro, tentaram intimidar os denunciantes da assinatura do contrato superfaturado para aquisição da vacina indiana Covaxin.

Leia também:

» Queiroga dá piti com pergunta sobre vacina superfaturada; vídeo

» Bolsonaro pagou 1000% a mais do que o estimado por fabricante de vacina

“O presidente determinou que a Polícia Federal abra uma investigação sobre as declarações do deputado Luis Miranda, sobre as atividadades do seu irmão, servidor público do Ministério da Saúde, e sobre todas essas circustâncias expostas no dia de hoje”, disse Lorenzoni, que ainda ameaçou Luis Miranda:

“Deputado Luis Miranda, Deus tá vendo. Mas você não vai se entender com Deus só não. Vai se entender com a gente também”.

Bolsonaro pedir investigação não da denúncia, mas sim do denunciante significa muita coisa.

Comentários: