Em uma semana João Pessoa recebeu três ministros do governo Bolsonaro. E de pastas estratégicas: Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), João Roma (Cidadania) e Marcelo Queiroga (Saúde).

Nas três agendas, aliados radicais do presidente Jair Bolsonaro, a exemplo dos deputados estaduais Gilberto Silva (PSL), Walber Virgolino (Patriota), Moacir Rodrigues (PSL) e o radialista Nilvan Ferreira (PTB), foram desprezados.

Marinho, Roma e Queiroga priorizaram encontros com o prefeito Cícero Lucena (Progressistas), o governador João Azevêdo (Cidadania), além dos deputados federais do chamado centrão, Aguinaldo Ribeiro (Progressistas), Efraim Filho (DEM) e Wellington Roberto (PL).

Queiroga, aliás, fez elogios, nesta sexta-feira (25), a Cícero Lucena e a atuação de Aguinaldo Ribeiro. Aos radicais, restou a militância. O prestígio é zero.

Leia também

» João Azevêdo e Marcelo Queiroga se reúnem sábado no Palácio

Comentários: