A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), saiu em defesa do governador gaúcho, Eduardo Leite (PSDB), que ontem assumiu ser gay publicamente, e hoje foi alvo de ataques tanto da ala radical da esquerda, quanto do presidente Jair Bolsonaro.

Nas redes sociais, a paraibana de Nova Palmeira escreveu:

– Na minha vida pública ou privada nunca existiram armários. Sempre demarquei minhas posições através da minha atuação política, sem jamais me omitir na luta contra o machismo, o racismo, a LGBTfobia e qualquer outro tipo de opressão e de violência. O governador Eduardo Leite fez um gesto importante e tem minha solidariedade por ataques que venha a sofrer em razão de sua declaração. Eu sei o que é a dor da discriminação e do preconceito.

Continuou:

– Os mandatos que recebi do povo, de deputada estadual, deputada federal, senadora e, agora, de Governadora do meu Estado, o RN, sempre estiveram à disposição das lutas civilizatórias. As denominadas minorias são, por vezes, maioria da sociedade, mas pouco representadas politicamente. Tenho orgulho de sempre ter representado essa luta e consciência de que, mais do que nossa condição humana, importa à sociedade as nossas ações para transformar o mundo em um lugar melhor para viver com justiça, dignidade, e direitos iguais para todas e todos.

Mais cedo, Eduardo Leite foi criticado pelo ex-deputado federal Jean Wyllys, do mesmo partido de Fátima, e novamente pelo presidente homofóbico, Jair Bolsonaro.

– Ele está se achando o máximo – ironizou Bolsonaro.

 

 

Comentários: