O Ministério Público Federal apresentou ação de improbidade contra Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde do governo Bolsonaro e soldado do coronavírus.

Oito procuradores federais pedem que Pazuello responda por omissão na aquisição de vacinas para imunizar a população ainda em 2020 e pela adoção ilegal – e indevida – do chamado “tratamento precoce”.

Dano ao erário 

A ação aponta quase R$122 milhões de dano aos cofres públicos. Requer ressarcimento integral do prejuízo, pagamento de multa de até duas vezes o valor do dano.

O MPF também pede a perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de cinco a oito anos e proibição de contratar com o Poder Público. O processo tramita, provisoriamente, em segredo de justiça por conter documentos protegidos por sigilo legal.

 

Comentários: