Foi em um chopp num restaurante de Brasília que aconteceu o encontro do caso da propina de 1 dólar por vacina com direito a audiência, no dia seguinte, no Ministério da Saúde.

Roberto Dias, agora ex-diretor de Logística da pasta, confirmou o encontro, segundo ele, por coincidência, com o ex-assessor do Ministério da Saúde, tenente-coronel Marcelo Blanco e o policial militar Luiz Dominguetti, golpista responsável por propor a entrega de 400 milhões de doses da vacina AstraZeneca.

Dias, obviamente, negou a oferta de propina no chopp. Ou melhor, a propina na vacina. 

Comentários: