política

Com impropérios de Bolsonaro, Brasil terá eleição no papel… higiênico

Por Maurílio Júnior
— Foto: Rafael Carvalho/Governo de Transição/Flickr

“Caguei. Caguei para CPI. Não vou responder”.

+ Presidente do Congresso, Pacheco reage a ameaça de Bolsonaro: “Inimigo da nação”

“Ou fazemos eleições limpas no Brasil ou não temos eleições”.

“Só um idiota [com o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso] para fazer isso aí. É um imbecil. Não pode um homem querer decidir o futuro do Brasil na fraude”.

“Minutos antes das curvas se tocaram era Dilma ganhou, Aécio ganhou, Dilma ganhou, Aécio ganhou. Por 271 vezes”.

+ Caguei: Bolsonaro e o poder de sintetizar o próprio governo

“É você jogar uma moeda 271 vezes pra cima e da cara e coroa, cara e coroa, cara e coroa. Isso deve ser a quantidade de átomos aqui na terra”.

Foram estas as declarações do presidente da República nas últimas 24 horas.

Se Jair Bolsonaro continuar nesta toada, a eleição de 2022 terá que ser no papel…

Higiênico.

Comentários:
error: Conteúdo Protegido!!