Deputado de primeira viagem, o paraibano Rafafá (PSDB) viveu nesta sexta-feira (16/7) o dia mais tenso do seu mandato na Câmara Federal.

» Com minoria, bolsonaristas tumultuam sessão que rejeitaria voto impresso

O tucano foi escalado às pressas pelo seu partido para Comissão que analisa a PEC do voto impresso em substituição ao experimentado Aécio Neves (PSDB-MG).

A sessão que derrotaria a proposta defendida pela base bolsonarista foi tumultuada pelos aliados do presidente, que em minoria, tentaram de todas as formas, adiar a votação do relatório.

Ao blog, Rafafá admitiu: “Foi assustador”.

– Fiquei assustado, já tinha participado de uma comissão que teve problema, que foi a da Cannabis, quando agrediram o deputado Paulo Teixeira (PT-SP), mas a de hoje foi assustadora. É uma votação que o governo estava perdendo e a maioria dos partidos que votam com o governo dentro do plenário, na comissão estão contra. O voto auditável é um outro gasto. Muitos pontos fazem por onde que muitos deputados não queiram isso. Por que o questionamento da urna eletrônica agora? A eletrônica já elegeu esquerda, direita, centro… E agora querem mudar? Qual foi o escândalo envolvendo a urna eletrônica? Nenhum. Será que a derrota de amanhã vai ser justamente por conta da urna eletrônica? Quem elege é o povo.

Um depoimento de quem prometeu “quebrar o pau” no Congresso. Brasília, realmente, se supera.

Comentários: