O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, minimizou, neste sábado (15), em João Pessoa, as críticas contra ele pelo atraso na vacinação infantil de Covid-19.

A imunização em crianças começa hoje no Brasil, um mês depois da aprovação da Anvisa e muita resistência do governo Bolsonaro.

Durante entrevista à imprensa pessoense, o médico paraibano se defendeu dizendo que não é um despachante da Anvisa.

“Quantos medicamentos, dispostivos ou produtos têm registro na Anvisa e não fazem parte das políticas públicas? O ministro da Saúde não é um despachante de decisão da Anvisa, nem de agência nenhuma. É o Ministério da Saúde quem conduz a Saúde pública e o ministro da Saúde é a principal autoridade. Como ministro atuo de acordo com a administração pública”.

Queiroga foi questionado pelo blog se não teme que a sua biografia seja manchada depois de deixar o Ministério da Saúde.

“A história vai me julgar. Trabalho todo dia para que eu tenha o melhor julgamento”, respondeu.

Ele ainda disse que está fazendo o possível à frente da pasta durante a pandemia de Covid-19.

Comentários: