Por três votos a dois, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) votou contra a decisão monocrática de do ministro Kassio Nunes Marques derrubando a determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que cassou o mandato do deputado estadual do Paraná Fernando Francischini (União Brasil).

O colegiado é composto pelos ministros Nunes Marques, Gilmar Mendes, Edson Fachin, Ricardo Lewandowski e André Mendonça. Votando por manter sua decisão monocrática, Nunes Marques citou a falta de elementos probatórios e o “ineditismo da interpretação adotada pelo TSE”.

“É claramente desproporcional e inadequado, com a devida vênia, por uma simples analogia judicial, aliás com a eficácia retroativa, equiparar a internet aos demais meios de comunicação”, afirmou.

A decisão da segunda turma do STF frustra a expectativa criada na equipe jurídica do ex-governador Ricardo Coutinho (PT), que torcia para manutenção da liminar de Kassio Nunes Marques, derrubando a decisão do TSE, para que se criasse uma jurisprudência a sua inelegibilidade que está em análise da ministra Carmen Lúcia.

Comentários: