Em abril deste ano, em depoimento à Polícia Federal, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, disse que apenas obedecia ordens do presidente Bolsonaro (PL). O pastor foi preso hoje suspeito de corrupção no MEC. Aos agentes, o ex-ministro informou que Bolsonaro, de fato, pedia que o Ministério repassasse as verbas para os municípios indicados pelos pastores Gilmar Silva e Arilton Moura, os mesmos que aparecem no centro do escândalo e que também foram presos hoje. Ribeiro foi exonerado em março após muita pressão do Centrão, que alegava que a permanência do ministro após as revelações seria prejudicial ao governo Bolsonaro.

Comentários: