Divulgação/Reprodução

Uma conversa envolvendo a nova chapa inscrita na eleição da Fiep (Federação das Indústrias do Estado da Paraíba) deve causar desdobramentos no processo interno da entidade.

Em um diálogo que vazou e que o @blogmauriliojunior teve acesso, o candidato a vice-presidente da oposição, Severino Acioly, diz que teria oferecido uma gratificação vitalícia de R$ 40 mil ao atual presidente Buega Gadelha para que ele retirasse sua candidatura de reeleição.

A conversa de Acioly, que preside o Sindicato da Indústria de Calçados da Paraíba, é com o empresário Helder Campos, presidente do Sinduscon-CG, e candidato a presidente pela chapa oposicionista.

“Ô, Helder, quando sair daqui você já… (inaudível)… que já tudo ok. Fui conversar com Buega para oferecer um salário de 40 mil conto, para o sistema (Sistema S) pagar, para que? Para Buega ficar no mesmo lugar que ele está, porém, sem ficar presidindo. E formávamos uma chapa de consenso. Só que ele não quis nem saber, nós é que vamos dizer como é que vai ser aquilo ali, quem quiser, quem não quiser fazer o que a gente manda cai fora (risos)”, diz Acioly no áudio.

E mais: “Agora no fundo no fundo o sentimento pior que o cidadão pode ter do outro é pena, mas infelizmente eu tenho que ter pena de Buega”, acrescentou.

Em outro momento da conversa, Helder Campos e Severino Acioly falam em partir para o “tudo ou nada” após a negativa de Buega a proposta. “Se ganhar ótimo, se não ganhar a gente sai. Nós temos dez ou doze na oposição a Buega e a gente vai resolver do jeito que quiser agora. Escutei ele dizer que quer acabar com essa briga, que acabar com briga que nada. Agora é tudo ou nada”.

O blog fez contato com Helder Campos que disse desconhecer o teor da conversa. “Não tenho conhecimento, mas reafirmo que pela idoneidade do presidente Acioly, não acho que seja verdade essa afirmação”. O blog também tentou contato com Severino Acioly, mas não conseguiu até o momento.

Comentários: